A tristeza dos Caboclos

67

É noite de lua clara e céu estrelado, noite de festa na aldeia, me ponho a caminhar pelas estradas que levam à mata pedindo licença a Pai Ogum e ao senhor Tranca Ruas.

Ao chegar a beira da mata sinto algo de estranho no ar não ouço as gargalhadas do Senhor Exu da Mata nem da Sra Pombogira da Mata, como de costume peço licença ali deixando minha pequena oferenda e adentro a mata.

O silêncio da mata é ensurdecedor e apavorante, um silencio gélido quase sepulcral, depois de quase uma hora de caminhada avisto a aldeia, toda escura e em silêncio.
Resolvo me aproximar com cuidado pois além de não seber o que se passa não desejo assustar alguém ou atrapalhar uma cerimônia sagrada.

Assim que chego a aldeia avisto o Caboclo Serra Negra sentado em uma grande pedra perto das toras da fogueira que estavam apagadas.

Ele estava ali pitando seu cachimbo com o olhar fixo nas estrelas, a medida que me aproximo dele outros caboclos e caboclas começam a sair das ocas e percebo que não estão portando os penachos ou diademas de sempre e sim um penacho negro com apenas uma pena branca, o saiote tb é todo negro.

Então o Caboclo Pedra de Fogo se aproxima das toras e acende a fogueira, assim que a fogueira é acesa a Cabocla Estrela de Prata começa a entoar um canto triste e é seguida pelas demais caboclas que ao cantar choram.

Quando a Cabocla Estrela de Prata termina seu canto o Caboclo Serra Negra se ajoelha e começa a entoar um canto triste também que falava de dor e solidão, quando termina de cantar vem até mim para explicar o que acontece.

Caboclo Serra Negra “Esse Caboclo salva esse filho meu!!!Hoje filho não tá vendo esse festejo bonito como gosta de vê. Hoje filho presencia cerimônia para fazer espantador de tristeza e de dor.”

Eu “Mas Pai porque tanta tristeza e tanta dor?”

Caboclo Serra Negra “Esse caboclo triste pq 2 estrelas que Pai Oxalá esse fez manda pra terra fez voltador esse muito esse cedo filho”

Eu “Entendo Pai”

Caboclo Serra Negra “Esse caboclo filho assustado com a crueldade desses filhos na terra, também decepcionado, muito triste, mas como esse filho meu fala esse caboclo esse cabeça dura, esse caboclo assim é esse teimoso que fala, né filho?”

Eu (Muito sem graça) “É Pai….”

Caboclo Serra Negra “Esse caboclo fala pois esse caboclo não desiste desses filhos meu esse caboclo ainda acredita nesses filho, esse sabe que tudo vos tem como muda esse mundo pra melhor e Caboclo Serra Negra esse promete que enquanto esse meu filho tem esse saúde e esse força esse caboclo vai esse tá sempre em terra pra esse ajuda, pra esse orienta e pra esse dá bronca também.”

Eu “Que assim seja meu Pai e eu estarei sempre pronto a servir!!!”

E assim fui trazido de volta com a incumbência de publicar a tristeza dos caboclos.

Ditado pelo Caboclo Serra Negra.
SP, 10/09/2008 20H27


Assine nossa Newsletter


Receba toda semana as últimas notícias do Umbanda 24 Horas em seu e-mail