A Crise Política do Brasil e a espiritualidade

A crise política no brasil tem sido grande catalisador de todo tipo de polêmica na sociedade e isso tem causado inclusive comunicações espirituais de guias de renomadas casas espíritas nos convocando à calma e ao pensamento cristão antes de tudo. Afinal, como o espírita deve encarar a situação complicada que se encontra o debate democrático no brasil?

Inicialmente gostaria de salientar que este artigo é desprovido de qualquer posicionamento político-partidário e visa tão somente a reflexão espírita, baseada nos preceitos doutrinários cristãos-espíritas. Dito isso imaginemos a pintura do atual sistema político brasileiro. Vivemos em um estado onde as riquezas naturais misturadas com o ambiente de harmonia evangélica tem sido alvo constante de abalos sociais gravíssimos.

Diariamente somos bombardeados de novas notícias entristecedoras e as vezes até mesmo chocantes sobre quanto o debate democrático no Brasil tem sofrido inúmeros golpes ao longo dos anos.

Somos a pátria do evangelho como diz Humberto de Campos no livro de mesmo nome. A pátria onde Jesus depositou toda sua esperança em uma renovação de ideais cristãos para o mundo. Devido a isso temos sido berço de almas extremamente necessitadas de um novo começo desde os tempos mais remotos da colonização. Espíritos infelizes se misturam a espíritos missionários em busca de renovação espiritual em solo novo e fértil da pátria do cruzeiro do sul.

Nesta mistura, nasce o Brasil. País de intermináveis riquezas naturais, pra onde se voltam as esperanças do mundo de uma nação focada na moral cristã. Com o passar do tempo o Brasil se torna alvo de saques, golpes, inúmeros atos contrários a democracia e com requintes de maldade que abalam a base de nossa nação.

Por meio de inescrupulosos, a nação sofre seus abalos que ao longo do tempo culminam no atual panorama que vivemos. Diante disso, percebemos, como espíritas, mais do que nunca a necessidade de equilíbrio na tomada de decisões, no diálogo e no debate , saudável, de ideias para o futuro de nosso país.

A crise atual tem caráter espiritual, visto que deixou-se de analisar as situações com olhares gerais e tem-se uma onda de egoísmo, onde grupos buscam apenas causas em seu próprio benefício e esquecem que fazemos parte de um todo. Vemos muitos espíritos encarnados ferrenhos defensores de ideais que humilham ou menosprezam outros grupos e com isso percebemos a escalada do egoísmo e da invigilância geral do pensamento da população.

O verdadeiro espírita se isenta de debates infrutíferos e busca o equilíbrio sempre. Com nossa crença, não podemos mais aceitar que certos erros do nosso pretérito sejam cometidos por nós. A busca pelo aprimoramento moral do espírita é constante e por isso não defendemos ideologias que pregam ódio, discriminação e violência como estandartes de política pública.

Buscamos, com isso, entender que a democracia é a serviço de todos e precisa ser respeitada conforme a decisão da maioria. Não obstante fazemos nossa parte , escolhendo representantes através do que cremos ser o mais próximo de sociedade ideal ou de caminho justo para a evolução do conjunto humanidade.

O espírita repudia atos de violência, pois ele mesmo busca não mais os comete-los e os próprios espíritos nos recomendam a ação pautada no respeito e no equilíbrio, sempre porém, vislumbrando a caridade como escopo do espírita. Através da caridade sabemos que o mundo se reerguerá diante da confusão natural de um momento decisivo onde estamos testemunhando em favor da nossa fé.

Avante espíritas! não desanimem diante de quadro tão perverso que se desenha. Sejamos a luz da sensatez humana a iluminar o caminho de desmandos e de ilusões. A caridade como nossa bandeira nos guiará a um futuro melhor. Sejamos participativos do processo democrático do Brasil, sem contudo nos contaminarmos da fraqueza e invigilância tão comum em nos seres humanos. Busquemos sempre atenção para com o próximo e ante a dúvida mais sombria, pensem em como Jesus procederia e ali terás sua resposta.

A democracia se faz com a participação de todos e o espiritismo encoraja-nos a auxiliar sempre com presteza, a educar sempre com clareza e acima de tudo, a tratar com amor a todos que povoam nosso entorno.

Não desgastar-se com o irmão que ainda encontra-se na cegueira proposital. Sabemos que a necessidade de cada um é conhecida somente por Deus. Trabalhemos a nossa paciência diante de quadro tão confuso para que na meditação mais profunda encontremos o caminho do meio, o caminho da paz.

Então, a crise política atual nada mais é que a falência moral do homem sendo posta a público. Cabe a nós espíritas o entendimento, o perdão e a paciência. Agir com caridade é nossa missão em qualquer situação que se apresente. Que Deus possa iluminar a mente dos futuros soberanos do Brasil e que possa estender sua misericórdia e benevolência por toda sua população. Muita paz a todos vocês, e muita fé no futuro.

Por Espiritismo da Alma (Felipe Gama)

Chico Xavier E PombaGira: A relação entre o espiritismo e a umbanda

O espiritismo e a umbanda são religiões moldadas a partir do contato com outras entidades e o cristianismo. O espiritismo veio da França, através de Allan Kardec, com os ensinamentos de reencarnação, a mediunidade e a comunicação com as entidades. E a Umbanda, por sua vez, que surgiu no século XX no Rio de Janeiro, principalmente durante os períodos de escravidão brasileira, com conceitos muito próximos do espiritismo, como a espiritualidade, o culto a Deus e o processo de reencarnação. Neste artigo entenda qual a ligação entre Chico Xavier e Pombagira.

Entretanto, muitas polêmicas se criaram quando da chegada de pombagira ao Brasil, junto com a Umbanda. O catolicismo da época a nomeou como a figura diabólica daquela região e, com isto, a imagem da pombagira foi se negativizando. Mas o que Chico Xavier e pombagira têm em comum?

Bem, pombagira, como qualquer outra entidade, é um espírito para ambas as religiões. Chico Xavier dizia que devemos respeito a todos os espíritos, pois todos são mutáveis e decisões arrogantes podem trazer consequências para a imortalidade. Como a imagem da pombagira intrigou os católicos no período colonial brasileiro, muitas pessoas, até mesmo alguns adeptos do espiritismo, alimentavam preconceitos em relação a esta entidade.
Por outro lado, Chico Xavier sempre pregou que o conhecimento de todo o mundo espiritual é necessário, antes mesmo que o vejamos com os olhos terrestres.

POMBAGIRA: SEU SIGNIFICADO ESPIRITUAL

A pombagira, segundo Chico Xavier, é uma entidade com forte intensidade espiritual. Precisamos entender por que ela foi tão mal vista entre os católicos. Bem, antes de tudo, a pombagira se caracteriza por ser o Exu em sua forma feminina, ou seja, seus níveis de luz são extremamente elevados e possuem ligações diretas com os Orixás. A pombagira é a mulher bem-arrumada que sempre se mostra envolta pelo manto escarlate da sensualidade. Com maquiagem forte e cigarrilhas à boca, ela é a figura-alvo da liberdade espiritual.

A partir da sua imagem, os cristãos e certos espíritas não conseguiram incluí-la em seus cultos, principalmente nos rituais de tradição do espiritismo e, por isso, ela ganhou apenas uma visão demonizada. Sabe-se que na África não havia distinção entre o bem e o mal, como distinguimos hoje no ocidente, através do discurso judaico-cristão. Portanto, foi mais cômodo referenciar a pombagira ao lado que feriam os dogmas da Igreja da época, como o cigarro, a sensualidade da mulher, a liberdade de viver a sua essência e o charme. Estas características foram interpretadas por Chico Xavier como apenas a liberdade do Exu-feminino, sem que houvesse a necessidade de enquadrá-lo em outras doutrinas. A pombagira estimula na mulher a sua virtude feminina, visto que todas as mulheres – que são incorporadas por esta entidade – revelam um chacra repleto de uma beleza divina e poderosa.

As ideias e vivências de Chico Xavier e pombagira têm visões conjuntas de liberdade e intensidade naquilo em que se vive, pois a vida numa encarnação é única e esta nunca retorna, apenas prossegue rumo à eternidade.


Veja aqui as declarações de Chico Xavier sobre Umbanda e espíritos de luz, no programa Pinga Fogo de 1971.

Por WeMystic

Alerj aprova São Jorge e São Sebastião para padroeiros do estado

Nesta quinta-feira, 18/04, a Alerj aprovou o projeto de lei que transforma São Jorge, o santo guerreiro, em padroeiro do estado. O projeto é de autoria do presidente da Casa, André Ceciliano (PT), e de Gustavo Schmidt (PSL). O texto recebeu, ainda, uma emenda do deputado Luiz Paulo (PSDB).

Agora, São Jorge, que é um santo extremamente popular no Rio, se junta a São Sebastião na proteção do estado do Rio de Janeiro.

Luiz Paulo argumentou que em algumas religiões de matriz africana Jorge e Sebastião são ligados aos irmãos Ogum e Oxóssi, orixás da estrada e da mata. Por isso, considerou justo que compartilhassem o posto de padroeiros do Rio.

Por: Felipe Lucena  do Diario do Rio

Como é a Sexta-feira Santa na Umbanda

A Igreja Católica celebra, na Sexta-feira Santa, a morte de Jesus, que foi crucificado. Enquanto isso, a sexta-feira Santa na Umbanda tem outro significado. Os Afro-umbandistas celebram o LOROGUN, que é quando os Orixás entram em guerra com o mal para trazer o pão de cada dia a seus filhos.

Os rituais da Umbanda também acompanham a Quaresma. Na Quarta-feira de cinzas, por exemplo, os Orixás da casa são vestidos e cada filho de santo lhes oferece a sua comida preferida. Os atabaques são lavados e guardados, e só são acordados no Sábado de Aleluia.

O que significa a Sexta-Feira Santa na Umbanda?

Para a Umbanda, a Semana Santa representa a criação do mundo, por isso, durante esse período, os Umbandistas se vestem de branco, principalmente na Sexta-feira Santa. Além da roupa branca, eles se alimentam somente com comidas dessa cor, como a canjica, arroz doce e pães. Esse é o dia em que os Orixás descem do Orún (mundo espiritual), para conhecer a grande criação de Olorum (Grande Criador, Divino, Deus criador de tudo).

Na noite de quinta para Sexta-feira da Paixão, os seguidores da Umbanda se protegem com seus contra-eguns. Eguns são espíritos que ainda não adquiriram um grau de consciência e muitas vezes ainda nem sabem que desencarnaram, e podem se tornar obsessores. Por exemplo, alguns se ligam a alguém encarnado para vivenciar seus vícios como álcool, droga ou sexo. Outros, por não quererem se afastar de um ente como esposa ou filho, sugam toda energia da pessoa, e ela fica como um vampiro zumbi, totalmente apática. O que acontece é que, nesta noite, Iansã está em guerra, e não pode afastar os eguns que estão rondando por aí.

A cerimônia da Umbanda

Na Sexta-feira Santa na Umbanda são oferecidos pratos a Oxalá, pedindo paz e prosperidade para o Terreiro e seus filhos seguidores.

A cerimônia de Fechamento do Corpo é feita na Sexta-Feira Santa na Umbanda, pois é um dia de grandeza energética do planeta. Nessa cerimônia, os guias espirituais se utilizam do magnetismo de ervas e alguns cristais, imantação solar e lunar e pemba (giz especial, fabricado com o pó extraído dos Montes Brancos Kimbanda e a água que corre no Rio Divino U-Síl) para fechar o corpo.

A pemba serve para riscar pontos nas pessoas e no chão, criando elos com o plano espiritual que emana vibrações, fluídos e energias diretamente no ponto riscado. Cada ponto tem seu próprio significado, mas só a Entidade que riscou o conhece.

Quanto à imantação nos centros de força, ela impede a ação de espíritos manipuladores de energia (eguns). Quando a entidade magnetiza o centro de força do médium, cria em volta dele um escudo que o protege, sempre respeitando a lei da sintonia, pois o médium continua com as conexões e afinidades que ele mesmo cria através de seu campo mental. Porém, o médium deve estar consciente de que, mesmo com o ”corpo fechado”, não está livre das sintonias que ele mesmo atrai, mas, se souber utilizar a carga energética adicionada aos chacras, com a imantação solar e lunar, ele pode dinamizar sua energia em um potencial incrível.

O objetivo do fechamento de corpo é deixar o médium preparado para todo tipo de trabalho. Milhões de espíritos são atraídos para tratamento, muitos deles sofrem, principalmente com a influência do vampirismo. Quando o médium passa por esse tratamento e está preparado, não absorve as energias desses espíritos durante os trabalhos de “descarrego”, protegendo o seu campo energético.

Que a Sexta-feira Santa na Umbanda seja com muita paz, e que o Pai Oxalá abençoe a vida e a família de todos, independente da crença espiritual.

Por: AstroCentro

As trocas energéticas durante uma relação sexual

Quando um homem entra em você, que tipo de consciência e energia ele carrega? Ele está amargurado? Está feliz? Ama a si mesmo? E te ama?

Quando uma mulher se permite para você, ela está te abençoando ou amaldiçoando? Ela está frustrada? Está triste? Ama-se a si mesma? E te ama?

O sexo é um ritual de troca de energias, pensamentos, emoções.Durante o sexo você se transforma em esponja para a consciência e energia dessa outra pessoa.

É como um contrato de acordo entre duas partes. Cada penetração é como uma cláusula e cada gesto é como uma afirmação desse contrato.

A troca de energia acontece por meio dos nossos chakras que se abrem para que a troca de energia vital aconteça. Na hora do sexo, as relações se tornam mais intensas pois o nosso parceiro tem acesso a toda a frequência energética que temos em nosso corpo. Os chakras se encontram, então é criado um fio de energia que conecta os parceiros criando a potente e vibrante energia sexual.

Dependendo da intensidade e do campo magnético criado na relação, essa conexão pode durar até anos! Entretanto, nem sempre essa troca intensa ocorre de forma harmônica, há a energia sexual que pode inclusive ser prejudicial ao nosso equilíbrio.

Em uma relação sexual com frequência vibracional elevada em ambos, os parceiros sentem que já se conhecem há muito tempo (além dessa vida) e sabem exatamente o que agrada o corpo e a energia do outro. Essa energia é capaz de perdurar circulando em nossos chakras por muito tempo. São como memórias que temos que não sabemos explicar como foram parar ali.

Em contrapartida, após o ato, os dois ou um dos dois sente-se [email protected]? Sensação de vazio? Ou mesmo tristeza? Muitos acreditam que o sexo é apenas uma forma de “aliviar tensões”. Isto é muito pouco perto do que o sexo pode oferecer. Na verdade, a energia gerada através do sexo é capaz de criar novas sinapses cerebrais e assim, reverberar em todo o organismo e decisões.

Imagine que um dos parceiros está em uma vibração ruim, com preocupações, angústias, problemas e resolve fazer sexo com alguém para relaxar. Isso pode acabar transmitindo todas essas tensões o outro. O que era para ser apenas uma forma de trocar prazer, pode trocar energias indesejadas, chamadas de amarras kármicas.

A amarra kármica acontece quando transamos com alguém que não está em sintonia com a nossa vibração energética. Quando isso acontece, essa troca é prejudicial. Pode parecer um pouco com cansaço, com exaustão ou preocupação, mas a sensação é sutilmente diferente. Aquele fio de energia criado entre você e o parceiro não é saudável, pois ele mudou a sua vibração, desequilibrou os seus chakras e criou uma amarra kármica entre vocês.

Quando isso acontece, é porque o casal não estava sintonizado e acabou baixando a frequência energética de ambos, compartilhando esse magnetismo com padrão negativo. Há casais que convivem mesmo sem amor e acabam fazendo sexo sem vontade de trocar boas energias – nesses casos realizam-se relações sexuais destrutivas. O campo magnético dos parceiros não deseja realizar trocas, entretanto, os corpos físicos forçam essa troca que faz muito mal a ambos!

Todos nós devemos cuidar do nosso corpo e energia e estar atento a quem estamos nos relacionando intimamente. As vibrações do nosso corpo comandam os nossos pensamentos e sentimentos, por isso tenha cuidado ao trocar energias com quem não tem a mesma vibração que você. O seu corpo te mostra isso, ele te dá sinais de que aquela pessoa tem ou não a mesma vibração que você, fique atento e proteja sua energia!

Esteja ciente do verdadeiro poder do sexo. Se você soubesse o quão a energia sexual é, não faria com qualquer um(a).

Alquimia sagrada