Não incorporo mais como antigamente, o que houve?

O médium sensato, laborioso e estudioso alcança tal êxito na sua tarefa mediúnica, que é bastante ao seu guia dar-lhe o toque fluídico familiar e delinear-lhe o tema que deve expor ao público, para a comunicação fluir espontaneamente e submissa ao programa de esclarecimento delineado pelos mentores da casa. Esse treino de aprimoramento moral e desenvolvimento intelectivo, sob a direção do guia, sensibiliza o psiquismo do médium e o ajuda a sublimar gradativamente a sua faculdade para a conquista natural da mediunidade intuitiva. Então, ele entreabre a sua mente ao contato definitivo com a Mente Divina e transforma-se no canal precioso do qual, em alta sensibilidade, flui para os encarnados a orientação exata para o curso da vida imortal.
Deixa de ser o intérprete que exige o comando alheio para cumprir o serviço mediúnico, porque já expõe o fruto de sua sabedoria e aprimoramento moral através do raciocínio cimentado pela segurança de sua experiência e graduação espiritual acumulada no tempo. Muitas vezes ultrapassa o seu próprio índice de conhecimento e vibra emotivamente acima do sentimentalismo humano, transformando-se no sensitivo que faz fluir a revelação sideral para a matéria, sem a necessidade de incorporar os espíritos desencarnados.

– do livro MEDIUNISMO.


Gostou do artigo? Então não se esqueça de compartilhar com os seus amigos! Obrigado!



Deixe uma resposta