Skip to content

Aonde sopra o vento, por Caboclo Olho de Lobo

Levantar da poeira que se faz pirilampo, em contraste com o irradiar de luz solar ao ultrapassar grãos de areia.

Pequeninos cristais torneados por cores celestiais, provindas do astro pai, é poeira vinda da areia remanescente da nascente lá na cachoeira.

Montanhas isoladas são apenas totens do criador, que adora o adorar do ser vivente, que a vista verde renascente do pé da colina; para, admira, suspira e sonha.

Aonde sopra o vento.

Uivo do lobo que ecoa ao léu, entre as geleiras que percorre a brisa, permanece apenas na superfície onde pode ser relembrado.

Lagos cristalinos, córregos celestinos, curvos e arredios promove o olhar atento do descuidado, desbloqueando seu pensar teimoso, com seus desvios de rota entre a face da mãe Terra, aonde se afoga as derrotas vindas e fortalecidas pelo medo.

Então mergulhe fundo nestes lagos, mas volte e solte-se de vez do ego, que ressoa na alma do inocente ser conveniente.

Voe passarinho…

E paira em plenitude, em altas altitudes, como uma águia após seu transmutar renascente. Nascer da lua entre pontinhos que só hão de brilhar pelo cuidado seu, em olhar a admirar, atitude contínua do ser cocriador perante a vida.

É convite de quem ouve o bater do seu coração, e sabe que o tem, e até aonde pode dar.

Então vá!

Permita-se emanar de vida, deixe fluir e assim reciprocamente instigar amor aos seus semelhantes, na arte de serem viventes felizes apenas por se amarem.

Flor que brota e se aquece, pelo toque da luz solar, mas resplandece pelo carinho suave dos dedos e mãos suas.

Vocês veem ou admiram?

É recíproca verdadeira do criador perante a criatura.

Latidos ou miados, seja como for ou como nossos irmãos menores, mas maiores em afeto fazerem-se ser notados; então, anotem em seus corações a liga é atuante e o afeto deles é penetrante, em nossas almas aparentemente mais desenvolvidas, mas infelizmente agressivas; já, eles, pequeninos ou maiores em estrutura, seres animais são imanentes de alma, repleta de afeto em sentido límpido ao respeito e admirar aos seres racionais.

Aonde sopra o vento.

Será aonde meus pensamentos podem ir?

Ou ainda, aonde meus sonhos podem me levar?

Quem me dera lá possa estar sempre!

Sorriso à solta sem intenção, mas continuo feito em ação minha, na sua face, que nem sabe o porquê sorri, mas sorrimos mutuamente só em poder servir na caridade.

Aonde sopra o vento.

É onde meu ser uno se expande, no pulsar do coração que se torna sereno, e meus semelhantes e eu felizes.

Aonde o sonho de amor não é só meu, mas de todos nós.

Só que em silêncio e em reverência ao contemplar o divino estado alheio.

Que um dia todos possam perceber o continuo ecoar da vida assim.

Espírito Caboclo Olho de Lobo.

Psicografado pelo Médium: Edson Rosa Rosa.

11/05/2015

You may also like