O Sal Grosso

O sal é conhecido como excelente condutor elétrico em solução aquosa na química e na Umbanda ,através dos banhos, nos higieniza atraindo e potencializando a condução de energias deletérias impregnadas no nosso corpo físico e astral para a solução aquosa em que se encontra (o banho).

O uso do sal grosso ao invés do sal de cozinha comum não se faz por acaso mas com bases até químicas que demonstram as diferenças nas suas constituições que certamente influem no uso magístico:
——————————-Grosso———-Comum
Nacl=……………………………99,75 ———–99,20
Cálcio= …………………………..0,10————-0,04
Magnésio=…………………….. .0,05————0,02
Sulfato=…………………………..0,30————0,15
Insolúveis=………………………0,10————0,06
Iodato de Potássio=…………..0,00————Variável de acordo com a marca
Ferrocianeto de Sódio=……..0,00———— Variável de acordo com a marca
Alumínio Silicato de Sódio=0,00 ————Variável de acordo com a marca

Na Antigüidade, os assírios já o utilizavam nos cultos. Na religião judaica, por outro lado, o sal sempre teve forte presença simbólica. O Antigo Testamento narra, por exemplo, o caso da mulher de Lot que foi transformada em estátua de sal porque olhou para trás ao fugir de Sodoma e Gomorra, cidades destruídas pela ira divina. Para os hebreus, o sal era um elemento purificador, símbolo da perenidade da aliança entre Deus e o povo de Israel. O ritual de batismo da Igreja Católica Romana, em que cristais de sal são colocados nos lábios dos recém-nascidos, reafirma a crença judaica no sal como purificador.

Na Idade Média, porém, a antiga santidade do sal acabou se transformando em malefício e proliferavam superstições como a de que desperdiçar sal era mau agouro, além de abjeto. Falando do Brasil, na sentença que condenou o inconfidente Tiradentes à morte, em 1792, os juízes portugueses mandaram salgar o chão de sua casa para que ali nada mais tornasse a nascer.
Uma curiosidade interessante é que o sal foi a origem da palavra ”salário’ ([Do lat. salariu, ”ração de sal”, ”soldo”.]), visto que os soldados do Império Romano recebiam parte de sua paga em sal.

Sal e açúcar são sólidos solúveis em água, porém apresentam propriedades completamente diferentes quanto à condução de corrente elétrica. O sal é um composto iônico que, dissolvido em água, sofre dissociação iônica, formando uma solução eletrólica (conduz corrente elétrica).

O açucar apenas se dissolve formando uma solução molecular, não-eletrólica, portanto não conduz corrente elétrica.

Um cubo de açúcar contém muitas moléculas e elas são mantidas unidas pelas ligações de hidrogênio (Interação intermolecular entre o hidrogênio e um elemento com elevada eletronegatividade –ex= Oxigênio ou Nitrogênio).Quando um cubo de açúcar dissolve, cada molécula permanece intacta. A molécula estabelece ligações intermoleculares com as moléculas de água e desfaz as ligações de hidrogênio com as outras moléculas de açúcar. Por outro lado, o sal em solução transforma-se em íons, como o cátion Na+ e o ânion Cl-. A solubilidade do cloreto de sódio só é possível devido a afinidade eletrônica existente entre o soluto (sal) e o solvente (água)

O cloreto de sódio é um sólido iônico. Portanto, há interações de atração e repulsão entre as cargas dos íons. Existe uma propriedade nos sólidos chama da “número de coordenação”, a qual representa o número de íons que circunda um outro íon.

Lembra-se nos cursinhos da vida a equação termodinâmica DG = DH – TDS ? A energia livre é resultado da interação da variação da entalpia (DH) com a variação da entropia (DS), sob efeito da temperatura (T).

No caso do cloreto de sódio, há uma diminuição da entropia, isto é, há uma organização maior do produto em comparação aos reagentes. (Entropia é a grandeza física que descreve a capacidade de um sistema para realizar trabalho. A propriedade que descreve a desordem de um sistema.)

A água destilada é um péssimo condutor de eletricidade (banhos não se fazem com água de torneira que contém cloro em grande quantidade, flúor, etc). Contudo ao adicionarmos cloreto de sódio (preferivelmente em água quente ou morna para aumentar a solubilidade do sal), ocorre a solubilização do mesmo e a conseqüente condução elétrica. Os íons presentes na solução servem como uma espécie de ‘ponte’ que leva os elétrons da superfície de contato a se moverem na solução e chegarem aos pólos positivo e negativo.

O sal refinado passam por lavagem, são moídos, centrifugados e secos em altas temperaturas.São adicionados compostos antiumectantes e uma dose de iodato de potássio para prevenção ao bócio. O sal grosso sofre um processo de recristalização (Processo de cristalização sucessiva de forma a obter cristais mais regulares) o que explica a formação de cristais maiores.
A cristalização é feita no fundo do cristalizador. O sal resultante tem uma granulometria muito variável, tendencialmente grande, os cristais têm invariavelmente a forma cúbica de halite (cloreto de sódio puro) não sendo possível desagregá-los com os dedos

O processamento do sal grosso depois de colhido, o sal é pré-lavado e armazenado em grandes pilhas, ou serras. Antes de ser embalado, e de modo a torná-lo branco, o sal é lavado novamente, centrifugado, seco por calor de combustão de derivados do petróleo, moído e crivado.

Já no processamento do sal refinado,este é seco por calor de combustão de derivados do petróleo e aditivado de antiaglomerantes, entre os quais o ferrocianeto de potássio, o fosfato de cálcio, o silicato de cálcio-alumínio, ou o aluminosilicfato de sódio. Outros aditivos ditos benéficos poderão ser acrescentados, como flúor ou o iodo.

De acordo com texto extraído do Jornal Nutrinforma – Edição 5 (2001) + http://www.mundovertical.com/fisica/osal.htm- cito abaixo:
SAL DE COZINHA – é o mais comum. Geralmente refinado, é “enriquecido” com iodo, selênio magnésio e zinco.
SAL GROSSO – é como o sal de cozinha, mas não é refinado.
“Existem sérios problemas quanto à adição deste iodo sintético. Os aditivos iodados oxidam rapidamente quando expostos à luz. Assim, a dextrose é adicionada como estabilizante, porém, combinada com o iodeto de potássio, produz no sal de mesa uma inconveniente cor roxa, o que exige então a adição de alvejantes como o carbonato de sódio, grande promotor de cálculos renais e biliares, conforme vários estudos científicos. Este produto existe em quantidades descontroladas no sal refinado, pois é impossível a sua distribuição uniforme. Na industrialização do sal, freqüentemente é aplicado vácuo e lavagem a quente para “clarificar” o produto final, perdendo-se nesta operação a maior parte dos macro e micro elementos acima mencionados, a maior parte deles úteis na ativação de enzimas e coenzimas. Depois de empobrecido, o sal refinado é “enriquecido” com aditivos químicos, contendo então perto de 2% de substâncias perigosas ao metabolismo humano.

Para evitar sua liquefação e empedramento ele é aditivado com antiumectantes como óxido e o carbonato de cálcio (cal de parede) que irá favorecer o aparecimento de cálculos renais e vesicais. Outros aditivos que costumam ser usados: ferrocianato e prussiato amarelo de sódio, fosfato tricálcico de alumínio, silicato de alumínio e sódio, etc. Obtém-se assim o sal refinado que agrada à dona-de-casa: branco, brilhante e soltinho, mas sem os seus 2,5% dos seus componentes naturais, que não são exigidos por lei.”

Notamos acima que existe uma significativa alteração química que diferencia o sal grosso do sal refinado .Como a “magística” da Umbanda não se dissocia das Leis Universais ,utilizar produtos de constituição físico-químicas diferentes implica em resultados finais também diferentes. Também é essencial frisar que como a “magística” da Umbanda é ligada diretamente com a Natureza , a utilização de elementos o quanto mais puros e livres da interferência industrial também se faz essencial à medida do possível.Desta forma quando existe condições ,o uso do sal marinho não lavado industrialmente é feito porém como ,por vezes, existem dificuldades para a obtenção do mesmo , a Umbanda(por determinação da Espiritualidade Superior) passa a optar pelo uso do produto mais próximo à “pureza natural” ou seja o sal grosso.

Ainda citando a fonte acima:

“O sal marinho contém cerca de 84 elementos que são eliminados ou extraídos para a comercialização durante o processo de refino. Perde-se então enxofre, bromo, magnésio, cálcio e outros de origem na vida marinha como plânctons, algas, krill, etc”
“Na lavagem são eliminados também componentes típicos do ambiente marinho como o plâncton (nutriente), o krill (camarão microscópico) e esqueletos de animais marinhos invisíveis. E, mesmo em pequenas quantidades, eles contêm importantes oligoelementos como zinco, cobre, molibdênio etc, além de cálcio natural.”

“Resumo dos Aditivos Químicos do Sal Refinado

Iodeto de potássio / Óxido de cálcio / Carbonato de cálcio / Ferrocianeto de sódio / Prussiato amarelo de sódio / Fosfato tricálcico de alumínio / Silicato aluminado de sódio / Dextrose / Talco mineral “

Quem tem gosto por criação de peixes de água salgada em aquários sabe que somente o sal marinho e em último caso o sal grosso são os indicados para salinizar a água. Já o sal refinado é altamente nocivo comprometendo a criação das espécies marinhas.Tanto que as casas especializadas oferecem o sal marinho puro e uma variante sintética.

Sobre espectroscopia faço uma citação do Laboratório de Plasma e Espectroscopia originado da união do Laboratório de Plasma da Universidade Federal Fluminense (UFF) com o Laboratório de Física Atômica e Molecular da Universidade Estadual de Campinas(UNICAMP) :
O fato de que cada elemento químico está associado com um único espectro óptico, constitui um dos aspectos surpreendentes da natureza. Além disso, não somente os átomos possuem espectros característicos, mas também os apresentam as moléculas e os núcleos. Estes elementos emitem e absorvem radiação eletromagnética a certas freqüências definidas que vão de rádio (para as moléculas) até a região de raio X de comprimento de onda muito curto ou raios gamas (para os núcleos). Historicamente, os espectros ópticos dos elementos foram descobertos por Gustav Robert Kichhoff e Robert Wilhelm Bunsen em meados do século XIX. A experiência decisiva que permitiu a Kirchhoff, auxiliado por Bunsen, estabelecer as leis da espectroscopia foi a referente aos espectros de absorção. Colocando alguns grãos de sal de cozinha – cloreto de sódio – numa chama, obtém-se uma luz amarela. O espectro dessa luz mostrou uma linha amarela correspondente a um comprimento de onda de 5893Å, característico do sódio.
Posteriormente, empregando-se um espectroscópio mais preciso, verificou-se que se tratava, na realidade, de duas linhas muito próximas, de comprimento de onda diferentes: 5896Å e 5890Å.

Se buscarmos analisar neste mesmo espectroscópio o sal grosso e posteriormente o sal marinho constataremos comprimentos de onda diferentes entre as 3 qualidades de sal.

E complementando a citação acima:
“Com o auxílio de instrumentos refinados, são estudadas radiações de todos os comprimentos de onda, emitidas por estrelas, galáxias e outros objetos cósmicos. O Laboratório de Plasma e Espectroscopia Atômica se dedica ao estudo do espectro na região do VUV (ultravioleta de vácuo) produzindo através de plasmas altamente densos e quentes. Este estudo possibilita aos astrônomos saber a priori qual radiação pertence a cada íon dos diversos elementos.”

Somemos à tudo isto acima as noções básicas de Física( eletricidade,termodinâmica,bioquímica,magnetismo,mecânica quântica) , Espiritualismo (relação de influência organismo-espírito-perispírito ,relação de influência matéria-espírito ,irradiação, mediunidade,etc) e Umbanda (potencialização, elementos fito-quimícos e obviamente diferenças entre banho ritualístico e banho de mar ) para em uma profunda análise ,constatar que um banho de sal grosso ou preferencialmente de sal marinho nada tem de mágico ou de místico e entender que Umbanda e seus Guias não são semelhantes à Harry Potter , Avatar ou o Senhor dos Anéis.

Caso queira uma explicação mais didática,completa e perfeita ,com certeza um verdadeiro Preto Velho ou Caboclo de Umbanda poderão facilmente dissertar sobre o tema mesmo que tenhamos dificuldades para entender alguns termos científicos mas nada nos impede (e é altamente aconselhável) que busquemos depois em livros (obviamente científicos) o significado e o complemento .Afinal são espíritos atrasados como os detratores da Umbanda dizem ou verdadeiros mestres iluminados como nós ,verdadeiros Umbandistas , afirmamos?

Conhecimento e Moral são as asas do espírito para alcançar a evolução e é o tamanho delas que determina a capacidade ,altura e estabilidade do vôo.
Assim determinam as Leis Universais e Morais.

Anjo Ariano

Deixe uma resposta