Skip to content

À liberdade em essência

Foi ao relento, a solta pelo tempo ecoa e vai a solta e liberto, ressoar ao ar livre, límpido e cristalino, em tons diamantino borda a noite estrelada.

Em labirinto entrecruzado perante o tempo que esvai do dia as claras e nas noites luminosas que ecoa e escoa em soar que expande logo a frente rente a vitória regia em alvorecer verdejante.

Campo florido coberto por lençol vitalício do florescer das rosas e florezinhas miúdas, unidas em lagrimas apaixonadas da mais pura alegria perante o sorrir da margarida encantada e queria.

Assovio liberto dos sabiás e da passarada que em passarela azul celestino em céu aberto. E eles passam, apenas passam voando em encontro do vendo suave.

Rir , sorria e chore se quiser, vá ao encontro dos sonhos abstratos, porém, materialize o abstrato que sonha em sua vida e viva e sejas alegre por si mesmo.

Isso crie, cocrie e reanime a tua vida de alegria sinceramente tua só tua.

Foi ao relendo que liberto do tempo, o momento transpassa e você nem sente mas vê que foi.

Deixe-o ir, se libera do compromisso e receba a divindade do amar de verdade na essência tua desnuda do que será ou do que pode estar.

Já é apenas Deus em ti!

Solto no eterno relento, pelo tempo que passa em momentos contínuos de liberdade.

Edson Rosa Rosa


Assine nossa Newsletter


Receba toda semana as últimas notícias do Umbanda 24 Horas em seu e-mail