A lenda da Cabocla Jurema

O Sol girou mais uma vez em volta da Terra enquanto os raios da manhã tocaram na sua testa, a cabocla gritou:
– Sou Jurema!!
 
E pulou do galho mais alto da árvore gigante e pareceu voar por entre os pássaros e outros seres alados da floresta; mergulhando no rio profundo; de onde emergiu, nadando com os botos que entendiam seu canto:
 
“Cabocla seu penacho é verde
Cabocla seu penacho é verde
É a cor do Mar
É a cor da Cabocla Jurema
É a cor da Cabocla Jurema
É a cor da Cabocla Jurema
Jurema… “
 
Cabocla, filha valente de Tupinambá. Adotada pelo mundo, foi encontrada aos pés do arbusto da planta encantada que lhe deu o nome; e cresceu forte, bonita, como formosura da noite e firmeza do dia. Corajosa, a cabocla tornou-se a primeira guerreira mulher da tribo, pois a sua força e agilidade e manejo das armas e da ciência da mata, se tornara uma lenda por todo continente; onde contadores de estórias, aos pés da fogueira, falavam da índia de pena dourada, que era a própria mãe Divina encarnada.
Nada causava medo na Cabocla, ate que um dia ela encontrou seu maior adversário; o amor. Jurema se apaixonou por um caboclo chamado Huascar, de uma tribo inimiga chamada Filhos do Sol, que fora preso numa batalha.
Os dias se passaram e o amor aumentava, pois o pior de amar não é amar sozinho e sim amar em retorno, pois exige do amado, uma ação em prol do amor.
Pelo olhar o Caboclo Huascar dizia:
“Oh doce Cabocla
meu doce de cambucá
minha flor cheirosa de alfazema
tem pena deste caboclo
o que eu te peço é tão pouco
minha linda Cabocla Jurema
tem pena desse sofredor
que o mal destino condenou
me liberta dessa algema
me tira desse dilema
minha linda Cabocla Jurema”
 
Jurema que aprendera a resistir ao conto do boto, ao veneno da cascavel e da amadeira, já resistira bravamente a centenas de emboscadas e que sentia o cheiro à distância de ciladas, não conseguiu resistir ao amor que fluía do seu peito por aquele guerreiro. Observando o Caboclo preso, ela viu nos olhos dele, as mil vidas que eles passaram juntos, viu seus filhos, o amor que os unia além da carne e percebeu que não foi por acaso, que ele fora o único caboclo capturado vivo, e decidiu libertá-lo, mesmo sabendo que seria expulsa da sua tribo.
Na fuga, seu próprio povo a perseguiu, e em meio a chuva de flechas voando na direção do caboclo fugitivo, foi Jurema que caiu, salvando o seu amado e recebendo a ponta da morte que era pra ele, no seu próprio peito.
Conta a Lenda, que o Caboclo Huascar voltou a Terra do Sol e fundou um império nas montanhas andinas e mandou erguer um templo chamado Matchu Pitchu em homenagem a Jurema, onde, só as mulheres da tribo habitariam e lá aprenderia a ser guerreiras como a mulher que salvara a sua vida. E no lugar onde a Jurema caiu, nasceu uma planta rebusca e muito resistente que dá flor o ano inteiro, cujo formato exótico e o tom amarelo-alaranjado intenso chamou atenção de todas as tribos, pois tudo dessa planta poderia ser utilizado, desde as sementes, até as flores e o caule; e porque as flores dessa planta estão sempre viradas para o astro maior; ela ficou conhecida como Girassol.
 
“Moça bonita é a
Cabocla Jurema
Ela vem com um girassol
e a coroa dela é como um girassol
Ela é a luz do amanhecer
Tem os seus lindos sonhos de arrebó
e a coroa da Jurema é
como um girassol
é como um girassol
é como um girassol
é como um girassol”
girassol
É a entidade mais reverenciada em todos os terreiros, depois de Oxalá, sua história começa aos sete meses de nascida quando foi abandonada por sua mãe e assim acabou por ser criada pelo caboclo Tupinambá, Jurema foi cacique de sua tribo e ao desencarnar, veio a terra na foram da grande Cabocla Jurema.
Jurema entidade de força, de poucos risos, mas de um carinho fora do normal.
A ela credita-se, várias falanges de caboclos, onde ela é a comandante, são chamados eles de falangeiros da Jurema.
E tem sua filha Jureminha que responde também na linha de Jurema.
Imagens representativas da Cabocla Jureminha (Filha da Cabocla Jurema e do Caboclo Huascar)
Imagens representativas da Cabocla Jureminha
(Filha da Cabocla Jurema e do Caboclo Huascar)
Entidade Guia – Chefe da Linha de Oxossi
Sua legião é constituída de grandes entidades espirituais, espíritos puros que amparam os sofredores, utilizando o processo de passes-cura através das ervas.
Normalmente, a Cabocla Jurema é entidade chefe e quando está trabalhando, atrai a presença, vibração de todos as Caboclas Jurema, ou seja, Jurema da Cachoeira, Jurema da Praia, Jurema da Mata etc, pois na realidade todas são uma única vibração que trabalham com os outros Orixás e seus ambientes e elementos da natureza. ex: lua, sol, mata, chuva, vento etc.
Jurema trabalha dentro da necessidade de cada pessoa, transmitindo coragem e energia.
Tem sempre uma palavra de alento e conforto para aqueles que sofrem de enfermidades.
Ela nos ensina a suportar as dificuldades e nos dá coragem para suportá-los.
Em qualquer lugar onde você esteja, quando o desespero tomar conta e a coragem lhe faltar, chame pela Jurema e sentirá sua força amparando você.
juremap
Quando quiser agradar essa Cabocla, vá a uma mata limpa, estenda uma toalha verde de pano e coloque sobre ela um vinho tinto doce (para Oxossi), um coco verde (para a cabocla), substituindo o líquido de dentro do coco por vinho com mel, enfeitado com fitas verde e vermelha.
Para Oxossi uma vela verde e um charuto.
Não se esqueça de uma travessa de frutas e uma cigarrilha.
 
OBS: As frutas podem ser laranja, banana,  manga, fruta de conde, goiaba etc…
As velas devem ser acesas fora da toalha, assim como o charuto e a cigarrilha.
Oxossi 033
Pontos Cantados da Cabocla Jurema:
Dentro da mata virgem,

Uma linda cabocla eu vi. (bis)

Com seu saiote feito de pena

Era Jurema filha de tupi

Jurema, Jurema, ô Jurema

Ela é cabocla rainha dos caboclos “o quê”

Mas ela vem lá do Juremá

Vem firmar seu ponto, nesse gongá.

 

Com 7 meses de nascida

A minha mãe me abandonou

Salve o nome de Oxossi

Foi tupi quem me criou.

Ai companheiros de Jurema,

Ai de mim tem dó.

Ai de mim, meus companheiros…

Ai de mim, tão só!

 

Que lindo capacete de pena,

Que tem a cabocla Jurema.

Mas ele é lindo,

Como a flor de urucá.

Lerê, lerê, lerá…

 

Oxalá chegou,

E já mandou busca…

Os caboclos da Jurema

O lá no Juremá

Meu pai Oxalá, é rei do mundo inteiro

Mando ordem pra jurema, chamar seus capangueiros

 

Ponto Cantado da cabocla Jureminha:

Ô Jurema, Jureminha…

Rainha dos caçadores (bis)

Quando ela firma seu ponto

Na areia, na linha das almas

Na linha de Nagô.

 

Fonte: Taróloga Amaya

Deixe uma resposta