Saiba mais para que serve o Ponto Riscado

ponto riscado

Conceito: O Ponto riscado é um instrumento para trabalhos magísticos efetuados pelas entidades. É o selo, o cartão de visitas, a identificação, o brasão e a bandeira da entidade.
É uma espécie de campo de força riscado através de símbolos dentro de uma Mandala, onde o instrumento utilizado em seu campo de trabalho é a Pemba. A Pemba maneja as forças de forma a lhe conferir afinidade com as entidades, identificando a quem ela se subordina, bem como seus fundamentos. A Mandala e os símbolos são riscados em uma tabua de madeira, que se intitula tabua de ponto.

Mandalas:
Constituídas de um desenho circular, aonde no seu interior vemos formas e figuras variadas. É uma representação geométrica da dinâmica relação entre o homem e o Cosmo. No interior da Mandala temos sempre um ponto central, que representa sua essência, e dele partirão todos os demais elementos. Esse ponto representa Deus, do qual partiu todas as coisas existentes no planeta. Existem dois tipos de mandala, mandala aberta, e fechada.

Mandala aberta:
A ação da Mandala aberta é ampla e vasta, envolve a todos e a todo o terreiro. Dentro de um terreiro normalmente esse tipo de ponto só é riscado pelo Pai ou pela Mãe espiritual, porque nesse caso está expandindo a energia para todos.

Mandala fechada:
A ação da Mandala fechada, é a ação concentrada, delimitada e limitada, a entidade neste caso cria um verdadeiro campo de força, usada em solicitações específicas e nos pontos identifica tórios.
Na Mandala são colocados elementos simbólicos ancestrais, ao desenhar uma mandala, ou seja, ao ser riscado um ponto, é criado um instrumento sagrado.

Pemba:
A pemba é uma pedra de calcário, que nossos guias utilizam para riscar seu o ponto de energia de acordo com a sua vibração. Ela é parecida com um giz, e pode apresentar várias cores de acordo com a vibração ou linha da entidade.
A pemba consagrada pode ser ralada e utilizada para cruzar o ambiente e filhos de santo. Desta forma ela é soprada nos pontos cardeais do ambiente para que se de a firmeza.

Símbolos e cores:
Todos os Símbolos partirão de um ponto no interior da Mandala. Os símbolos e as cores da Mandala criam a força que define a ação vibracional da Mandala (Ponto riscado).

Grafia de Umbanda e seus significados:
Cada traço, cada forma tem um significado e de acordo com a ordem, a direção e a maneira como os símbolos se posicionam podem revelar muitas informações sobre a manifestação espiritual ora transcrita através do ponto riscado e sua missão de trabalho.

Círculo – O Universo, a Perfeição.

– Circulo aberto – energia expandindo;

– Circulo fechado – energia concentrada;

– Circulo com um ponto – ser supremo, símbolo de Oxalá;

Um Círculo com Dois Diâmetros Entre Si – O Plano Divino, o Quaternário Espiritual.

Círculos Menores e Semicírculos – A fases da lua (símbolo de Iemanjá), forças de luz, inclui Iansã.

Círculo com Estrias Externas – O sol (símbolo de Oxalá).

– Linha reta transversa – mundo material
– Duas linhas retas transversas
– Linha curva – polaridade
– Triangulo – Trindade

– Hexagrama ( dois triângulos ) – masculino e feminino, as forças divinas

– Um Pentagrama –

A Estrela de Davi e o Signo de Salomão

A Linha do Oriente, Oxalá, a Luz de Deus.

Três estrelas também representam os Velhos e Almas.

– Balança, Machado ou Nuvem – Símbolos de Xangô e do Oriente

– Raio – Simbolo de Yansã ( mudança dos tempos, intensidade, forte energia)

– Espada Curva – Símbolo de poder e força, a luta do bem contra o mal, símbolo de Ogum;

– Espada Reta – Símbolo de Iansã.

– Coração – Símbolo do amor, da força dos sentimentos que unem os homens, símbolo de Oxum; a Flor também é um símbolo de Oxum.

– Tridentes – Símbolo antigo de força, representando a força do Deus Netuno que tinha no tridente a representação dos pólos que comandavam aquela civilização. Símbolo usado por exus e pomba gira devido ao sincretismo. Observam – se tridentes de risco quadrado para exus (compadres) e de risco arredondados para pomba giras.

– Cruzeiro – Símbolo das almas e do encontro dos desencarnados. Muito comum nos pontos de pretos velhos e exus de cemitério.

– Caveira – Não simboliza a morte. É a identificação dos espíritos que militam nas esferas da calunga pequena (cemitério).

– Flecha para cima – Símbolo da busca espiritual, do objetivo, do alvo a ser atingido. Símbolo dos falangeiros de Oxossi.

– Arco e Flecha – Símbolo dos falangeiros de Oxossi

– Fases da lua

Cheia – Símbolo da magia oculta, símbolo de Iemanjá

Crescente – Renovação de forças

Nova – Força plena

Minguante – descarrego ou pólo invertido

– Um Quadrado – O os 4 elementos (Água, Terra, Fogo e Ar).

– Espiral – Para fora indica chamamento de força, retirando demanda.

– Bandeira Branca com Cruz Grega Vermelha – Símbolo de Ogum.

– Coração com uma Cruz no Interior – Símbolo de Nanã.

– Traços Pequenos na Vertical (chuva) – Símbolo de Nanã.

– Folhas ou Plantas – Símbolos de Ossanha.

– Cruz Latina Branca – Cruz de Oxalá.

– Cruz Grega Negra – Com pedestal, símbolo de Omulu.

– Arco-íris – Símbolo de Oxumaré.

– Estrela Branca (Oriente) – Luz dos espíritos.

– Estrela Guia (com cauda) – Símbolo da capacidade de acompanhamento (Oriente).

– Um Oito Deitado (Lemniscata) – Símbolo do Infinito.

– Cordão com Nó ou um Pano – Símbolo das crianças.

– Conchas do Mar – Símbolo das crianças.

– Águas Embaixo do Ponto – Símbolo de Iemanjá (mar).

– Pequenos Traços de água – Símbolo de Oxum.

– Traço ou Linha Curva com Círculo nas Pontas – Símbolo de força, amarração e descarrego.

– Rosa dos Ventos – Chamamento de força ou descarrego.

– Palmeiras ou Coqueiros – Força dos Velhos

– Traço com Três Semicírculos nas Pontas – Descarrego e força também.

Existem muitas grafias utilizadas por nossos guias e essas são algumas mais comuns. Porém no Ponto riscado está o segredo e assinatura de cada entidade, aonde poderemos perceber símbolos ainda desconhecidos apresentados pelas mesmas.
Por isso cabe a nós o estudo e a avaliação, não só do Ponto riscado, mas da manifestação e da confirmação do Guia como um todo, onde tem que prevalecer sempre a energia que está vibrando.

Tabua de Ponto:
Os pontos podem ser riscados em qualquer local, porém se recomenda ao médium que tenha uma tabua de ponto confeccionada em madeira de boa qualidade (cedro ou pinho). Ao término do trabalho o médium deve sempre apagar o ponto no sentido horário com bucha vegetal e seca.

Fonte: http://aldeiapenabranca.blogspot.com.br/

Dicas em 5 passos de como orar de verdade

creio umbandista

Muita gente pede sugestões sobre como fazer oração, o que conversar com Deus. Para responder a esta pergunta, apresentamos um acróstico de como orar de verdade (uma palavra cujas letras, colocadas em forma vertical, são a primeira letra de novas palavras).

A palavra escolhida para estas dicas de oração é “ÁGAPE”, que em grego se refere ao amor perfeito de quem ama doando-se inteiramente, sem esperar nada em troca, como é o amor de Deus por nós.

Para que sua oração seja um “ágape”

Isso significa que, por um lado, seu diálogo com o Senhor precisa ser feito por amor e com amor, não por pura conveniência, não para ver o que você vai ganhar com isso. Por outro lado, que em sua oração sempre estejam presentes os seguintes elementos do acróstico da palavra ÁGAPE:

A: Amor feito louvor

Louve a Deus com amor por aquilo que Ele é: pela sua grandeza, beleza, bondade. Pense nas maravilhas da criação e pergunte-se: por qual de todas essas maravilhas eu quero louvar a Deus hoje? Louvar a Deus com amor nos leva a sair de nós mesmos, deixar de ter o foco em nossas misérias e problemas, perceber tudo de bom que Deus coloca em nossas vidas.

G: Gratidão

Agradeça a Deus pelo que Ele faz especificamente na sua vida. Repasse mentalmente tudo o que aconteceu no seu dia, agradecendo-lhe por cada coisa que você lembrar – não somente as coisas boas que lhe fizeram feliz, mas também o aparentemente ruim, porque Ele permitiu isso por alguma razão, talvez para fazer você crescer em humildade, paciência ou compreensão.

A: Arrependimento

Ao recordar os acontecimentos do seu dia, peça perdão a Deus por tudo aquilo que você pensou, disse, fez ou deixou de fazer, que não tenha sido conforme a vontade e misericórdia divinas; por tudo aquilo que não foi inspirado pelo seu amor, e sim pelo seu egoísmo, ira, rancor, injustiça, intolerância.

P: Palavras sinceras

Em seu diálogo com Deus, sinta-se à vontade para pedir, perguntar, contar suas coisas como você contaria a um grande amigo. Ele o escuta sempre, não o julga, não o condena. Pode abrir seu coração!

E: Escute-O

A verdadeira oração envolve necessariamente o diálogo, ou seja, não implica somente em falar, mas também escutar. Deus nos fala por meio da sua Palavra, por meio das pessoas que o cercam, dos acontecimentos. O importante é prestar atenção, saber ouvi-lo. A oração, como diálogo, ensina a reconhecer a voz de Deus em sua vida, a maneira particular como Ele se comunica com você.

Fonte: SIAME

O passe espiritual

A palavra passe de origem latina, significa passar, é decidir levar de um lado para o outro.

O passe magnético ou imposição das mãos, define-se como uma transfusão bio psico energética, um ato de socorro fraterno – sendo uma prática comum entre os espíritas -, por meio do qual se produz um deslocamento do magnetismo pessoal do doador até ao receptor (o paciente ), com a finalidade de equilibrar e restabelecer a saúde, e no qual se conjugam energias do ser humano e do seu ambiente natural. Continue lendo “O passe espiritual”

A diferença entre o Transporte e o Descarrego

Em teoria todo mundo sabe o que é um descarrego, tem pessoas que até gostam dele e ficam felizes quando passam por um no terreiro. Mas quem sabe como ele funciona, como pode ser feito e quais as implicações para o médium? E diferenciar um descarrego de um transporte, quem sabe? Pois é sobre isso que falaremos hoje. Vamos lá? Continue lendo “A diferença entre o Transporte e o Descarrego”

Porque tiramos os calçados ao pisar em um terreiro?

Todo Umbandista já deve ter ouvido a frase “Umbanda é pé no chão”. Mas será que todos sabem o porque de ficarmos descalços em nossos terreiros? São três motivos principais. O primeiro é que o solo representa a morada dos nossos antepassados e quando estamos descalços tocando com os pés no chão estamos entrando em contato com estes ancestrais e, consequentemente, com todo o conhecimento e a sabedoria que esse passado guarda. Continue lendo “Porque tiramos os calçados ao pisar em um terreiro?”