Seja a luz

Se o momento é de tristeza, não esmoreça, busque a solução, adapte-se.
Se o momento é sombrio, acenda a luz em seu coração ilumine-se e ilumine.
Se o momento é de intrigas, silencie, emita bons pensamentos.
Se o momento é de tormenta, busque a paz, vibre amor.
Se o momento é de contenda, auxilie sempre o bem, edifique.
Se o momento é de ignorância,clareie as consciências, eduque com amor e humildade, exemplifique.

Diante de quaisquer desafios conflitantes não desanimes, não te perturbes e mantenha a esperança.
Faça sempre o que estiver ao seu alcance, dê o seu melhor mas não mais que possas dar, respeite seus limites, mantenha seu equilíbrio.

Responda ao mal com o BEM,
Responda ás trevas com a LUZ
Responda ao ódio com o AMOR

Cuide de vossos pensamentos, sentimentos e atitudes,
Sua mió(melhor) proteção e colaboração para este momento é a vossa VIBRAÇÃO positiva.
Se não podes encarar o combate sem se deixar perturbar os sentimentos, aceite seus limites, afaste-se e vibre pelos irmãos.que se encontram na tarefa.
Depois da tempestade sempre vem a bonança.
O momento nos pede interiorização, preces e vibrações.
Acenda vossa LUZ interior mantenha a confiança e a esperança.
Dias mióres (melhores) estão por vir.
Jesus é conosco.

Muita paz e fé nos obreiros de Nossu Sinhô Jesus Cristo.
Pai João de Angola

Nossa postura diante dos desafios

Considerando que os desafios fazem parte da vida e nos servem de aliados para o nosso desenvolvimento moral, intelectual e espiritual podemos constatar se estamos amadurecendo, entendendo as lições e avançando observando como reagimos ao que nos acontece.

Quando um desafio acontece tendemos a nos desestabilizarmos, passamos a reclamar, a não aceitarmos o que aconteceu e reagimos da pior forma possível, este tipo de reação só fará com que as coisas se tornem mais pesadas e difíceis de solução.

Quando ficamos num estado alterado de consciência alimentando pensamentos negativos alteramos nosso padrão vibratório e bloqueamos os canais de criatividade, de sensibilidade espiritual, de atração e da receptividade das boas energias sempre que pedimos inspiração para solução do desafio, é como se os fios blindassem a mente impedindo quaisquer acessos sejam internos(vossos próprios recursos) ou externos(vossos amigos espirituais).

É natural que ao receber o impacto do desafio sujam emoções e sentimentos que nos provoquem medo, insegurança, raiva, culpa entre outros os quais devem ser acolhidos com amor e ouvidos pois todos nos servem igualmente de alertas, de aliados nos convidando ao conhecimento de nóis mesmos e a descoberta de grandes tesouros que abrigamos na alma.

Não existem emoções e sentimentos negativos e sim em desarmonia, a falta de equilíbrio, os excessos e a manutenção destes por tempo além do necessário a transmissão de seus recados é o que causam os estados emocionais, estes “estados” são os que causam resultados “negativos” pruquê paralisam e retardam nossa marcha evolutiva, daí a importância da Educação Emocional, ou seja, trazer as emoções, os sentimentos ao seu ponto de equilíbrio.
Diante de quaisquer desafios devemos proceder com Atitudes de Amor para conosco assim como procederíamos para com os outros.

Que possamos nos acolher com amor, carinho buscando nos dar apoio incondicional, acalmando nossos pensamentos e buscando a prece como recurso que nos abre a oportunidade de comunicação com Deus, Jesus e nossos amigos espirituais daí a importância da Fé.

A Atitude de Amor para consigo provocará alteração no padrão vibratório elevando-o e expandindo-o, libertando a mente e abrindo os canais da criatividade, inspirações e recepções de forças espirituais, daí a importância do “Amar a si Mesmo” tal qual nos ensinou Nossu Sinhô Jesus Cristo.
Por fim basta agora ter a atitude em prol do desafio e com certeza encontrarão a solução.

Com este olhar amoroso sobre os desafios passamos a compreender que não existem injustiças e ou punições de Nossu Pai para com seus fios, tudo é para nossu bem e progresso.

Quanto mais rápido vosmecê tiver uma Atitude de Amor em prol de si mesmo, mais rápido o desafio será solucionado.
Que essa reflexão possa servir de estímulo aos fios a ajudarem a si mesmos.

Que Nossu Mestre Jesus os abençõe e proteja.
Recebam meu afetuoso abraço e boas vibrações para que prossigam a caminhada com fé, esperança, alegria e muitas atitudes.

Pai João.

Por que saudamos a tronqueira – porteira – ao chegarmos no terreiro?

Qual a origem do fundamento de Exu estar em nossas porteiras??

Uma história Nagô conta que havia um grande comerciante, sábio e de bom caráter que muito ajudava a comunidade, sendo respeitoso e justo no mercado, por vezes doava as sobras de quiabo e inhame aos que não tinham dinheiro para pagá-lo. Em razão do seu surpreendente conhecimento e sucesso, era invejado por muitos dos seus pares, que rogavam à Morte e à Doença batessem em sua porta e o levassem. Ao saber disso, esse grande sábio consultou um Babalaô – Oráculo de Orunmilá -, intentando saber o que fazer para afastar um possível mal à sua integridade física, à sua saúde e ao seu bem viver. O Senhor do Destino, àquele que tudo viu e vê, confirmou que ele seria atacado pela doença e em seguida pela morte, que seus inimigos estariam, pela inveja e mau olhar, liberando os Ajoguns, forças espirituais destrutivas, que bateriam a sua porta. Para manter-se equilibrado e protegido contra estas forças, ele deveria realizar uma determinada reza com uma oferenda para Exu, na entrada de frente da sua casa e outra também na entrada dos fundos, que deveriam ser renovadas periodicamente. Assim o sábio o fez, conforme orientado pelo Babalaô.
Passados alguns dias, a doença foi à casa do sábio e, ao chegar na porta de entrada, deparou-se com Exu. A doença disse: “Me dê licença EXU, pois quero entrar”. Exu, que havia sido invocado e recebido as oferendas do sábio, disse à doença que não permitiria a sua entrada, que desse meia volta e seguisse o seu caminho. A doença, no entanto, não se deu por contente e se une a morte e tentam entrar pela porta dos fundos mas lá, também estava Exu, que não deixou ambos entrarem, dizendo-lhes que o destino do sábio não previa ele voltar para o Orun naquele momento e que ele teria vida longa e próspera, isto se mantivesse o seu caráter intacto como vinha fazendo.

Desde este dia, Exu está na porteira dos terreiros, evitando que coisas negativas entrem.

O mito fundamenta o rito!!!

LAROIÊ!!!!!!!!!!

O depoimento de um fumante pós-desencarne

O depoimento de Jonas após sua desencarnação

“Vou pedir para ter em tenra idade, bronquite, isto me manterá afastado do fumo.
Fumei muito na encarnação passada, fui escravo do vício, arruinei minha saúde. Desencarnei e fiquei desesperado para fumar. Fui socorrido, logo após meu desencarne fui a um posto de socorro, não quis ficar lá e passei a vampirizar para ter a sensação de que fumava. Como fui infeliz, era um trapo humano, sofri nas mãos de espíritos maus, vaguei sem sossego, sofri dores e humilhações! Um dia, cansado, orei muito e senti necessidade de abandonar de vez o fumo, fortaleci-me nas orações e consegui.”
(Do livro: Reconciliação)

TEMOS DUAS OBSERVAÇÕES A FAZER:

1ª). Quem fuma comete SUICÍDIO. 
Aquilo que causamos, de bom ou de mal, a nós, ao próximo ou a qualquer fruto da criação divina, sentiremos o efeito, nesta ou em outra encarnação. Por exemplo: o usuário de cigarro lesa vários órgãos do corpo físico, um deles é o pulmão. Este órgão, então, se foi o mais lesado, poderá desencadear problemas pulmonares. Se isto não ocorrer nesta encarnação, numa próxima, poderá vir sensível a doenças como: câncer, asma, bronquite, etc. Os que não abusam da saúde e tem várias doenças estão, provavelmente, colhendo o que plantaram. E os que abusam da saúde e passam pela vida saudáveis, estão plantando. Se assim não fosse, Deus seria injusto. Por exemplo: Como pode uma criança nascer precisando de transplante de fígado e, um adulto usuário de bebidas alcoólicas ser saudável? Como costumamos dizer, um está colhendo (porque a criança é um Espírito velho em corpo novo), e o outro está plantando (o adulto). Como nos foi avisado: “O plantio é livre, mas a colheita é obrigatória”.
2ª). Outro fator que precisa ser esclarecido para o fumante inveterado: ele raramente fuma um cigarro sozinho. Segundo André Luiz:
“Há espíritos que, devido a falta de conhecimento do mundo espiritual, ficam por muito tempo ligados a prazeres e hábitos terrenos, como vícios, fome, sede, etc.” Este fenômeno chama-se vampirismo.
Este assédio perdura até que a pessoa tome a decisão sincera de parar de fumar, o que não é fácil.
Além da desintoxicação do organismo, é necessária a desintoxicação psíquica.
Não é somente a pressão da nicotina e do alcatrão que precisam ser combatidas, mas igualmente a do desejo, do impulso, alimentado por induções espirituais dos seus companheiros de trago que o aconselharão a não parar.
ATENÇÃO: ESTE ALERTA SERVE PARA QUALQUER TIPO DE CIGARRO E VÍCIOS EM GERAL.

 

Na escola do Autoamor

Na escola do autoamor só se faz doutô:

aquele que tem coragem para o auto-enfrentamento
Que encontra na dor não motivos para sofrimento e sim
Chamado para despertamento.

Na escola do autoamor só se faz doutô:

Aquele que se coloca como criança,
que tem muito a aprender, sonhos a realizar e objetivos a conquistar no caminho do auto conhecimento
por isso jamais perde a esperança.

Na escola do autoamor só se faz doutô:

Quem aprendeu a se respeitar e perdoar,
quem aceita seus erros e os toma por aprendizado,
Cai, levanta, levanta e cai mas jamais desiste de caminhar.

Na escola do autoamor só se faz doutô:

Quem acolhe, seus sentimentos, os mais sombrios , porque eles precisam de iluminação
e isso só se dá com aceitação entendimento e auto-perdão.
Quem entende as suas mazelas entenderá o vosso irmão.

Na escola do autoamor só se faz doutô:

Quem entendeu e pratica a mensagem do Cristo :para amar incondicionalmente o outro é preciso se amar primeiro
e somente conhecendo a si mesmo
é que se conquista o amor verdadeiro.

Que nossu sinhô Jesus Cristo preencha de paz o vosso coração.

Pai João.